Gabriela de Andrada - Saudade





Gabriela de Andrada - Saudade


Da vida na manhã tudo é bonança,

Tudo é luz, tudo flor, tudo harmonia:

São cantos de suavíssima poesia,

Que nos embala em sonhos de esperança.


Ri a ventura ao lábio da criança;

Da mocidade a alegre fantasia,

Escrava da ilusão que a inebria,

Em vão busca o prazer, em vão se cansa.


Passam os anos, e com eles passam,

Uma por uma, todas as quimeras,

Chegam invernos, fogem primaveras...


Além no azul do céu, onde esvoaçam,

Tristes saudades das passadas eras,

São os sonhos da vida que perpassam...


Gabriela Frederica de Andrada Dias Mesquita (1852-1922)

foi uma poetisa brasileira.









Corresponding content: