Ana Lima Pimentel - Rimas Alegres





Ana Lima Pimentel - Rimas Alegres


Dorme minha alma sorrindo

Da esperança no regaço,

E sonha que estão fugindo

Pelo doce azul do espaço

Suas crenças perfumosas,

Como pétalas de rosas.


Não vês dos sonhos na calma

Desabrocharem meus versos?

Eles são as flores da alma

Da lira sutis dispersos!

Quero embalar-te os ouvidos,

Nestes harpejos queridos!


Nunca sofri dissabores,

Não sei se existe amargura,

Passo uma vida de flores,

De moça a vida mais pura.

Me alente o canto das rimas...

Com teu sorriso me animas.


Leio o futuro ridente

Na cor dos olhares teu!

E sei dizer, docemente,

Todos os dias: meu Deus!

Fazei permanente a origem

Dos róseos sonhos da virgem ...


Cerca-me o zelo paterno,

Tenho as maternas carícias,

Do lar ao aconchego terno

Canto venturas, delícias!

São tão formosos e tantos,

De minha vida os encantos...


Creio nas louras quimeras

Filhas diletas do amor;

Minhas gentis primaveras

Da adolescência na flor,

Não me mentem enganosas,

Sim, me sorriem ditosas!


Estas estrofes singelas

Não pensem ser ilusão,

São elas todas estrelas

Do céu do meu coração.

Primor que a vida matiza

E o meu viver sintetiza.


Ana Lima Pimentel (1882 - 1918)

foi uma poetisa brasileira.









Corresponding content: